Iraniano com 65,24 cm é menor homem vivo com mobilidade do mundo segundo Guiness

Aos 20 anos, o iraniano Afshin Esmaeil Ghaderzadeh foi considerado o menor homem vivo com mobilidade pelo Guiness World Records. Nascido no Irã, em 13 de julho de 2002, ele tem quase 7 cm a menos que recordista anterior, Edward Niño Hernandez (Colômbia), de 36 anos de idade. Além disso, é o quarto homem mais baixo já verificado pelo Guiness. Não é informado, entretanto, o tipo de nanismo do iraniano.

O jovem foi descoberto em uma aldeia do condado de Bukan, na província do Azerbaijão Ocidental, no Irã, chamada “Shikhler”. Ele fala tanto curdo quanto persa, usando o dialeto farsi. Segundo o Guiness, Afshin nasceu com peso corporal de 700 g (1,5 lb) e cresceu até atingir seu peso atual, de quase 6,5 kg (14,3 libras).

Menor homem do mundo com mobilidade é iraniano

“Só de pensar em fazer parte da família Guinness World Records é um sonho. Às vezes tenho dificuldade de acreditar. É como se você acordasse no dia seguinte e o mundo inteiro soubesse quem você é. Isso é mágico. Eu gosto da atenção que recebo das pessoas. Isso me faz sentir especial”, disse Afshin.

Questionado sobre os planos para o futuro, o homem mais baixo do mundo afirma que gostaria de ajudar os pais. “Meu sonho é ser capaz de ajudar meus pais. Embora qualquer coisa de tamanho médio pareça grande ao meu lado, este reconhecimento global pode [ajudar a] realizar meu sonho”.

Acessibilidade

Em entrevista ao Guiness, a família do jovem disse que ele parou de estudar porque o tamanho o impediu de frequentar a escola na região. Oriundo de uma família humilde, também não conseguiu emprego. O pai é trabalhador da construção civil na cidade. “O tratamento contínuo e a fraqueza física do meu filho são as principais razões pelas quais ele parou de estudar; ele não tem problemas mentais”, explicou Esmaeil, o pai.

Esportes e hobbies

O iraniano nunca praticou esportes, mas fala sobre o gosto pela dança. Fã de futebol, torce para o Esteghlal, time do Irã. Seu jogador de futebol favorito é Ali Daei, que já foi recordista para o maior número de gols marcados em partidas internacionais de futebol por um indivíduo (masculino).

Afshin também é um grande fã da celebridade turca Burak Özdemir, que detém o título de recordista do Guinness World Records para o maior número de seguidores no TikTok para um chef (66 milhões).

Tom & Jerry está na lista de desenhos animados preferidos, mas o iraniano afirma que seu preferido é o gato e não o rato. Apesar de gostar dos smartphones, não consegue segurá-los por muito tempo. “Os telefones em geral são pesados para usar por muito tempo, mas eu ainda consigo”, disse Afshin.

Afshin Esmaeil Ghaderzadeh tem 20 anos de idade

Roupas sob medida

Assim como diversas pessoas com nanismo, ele encontra dificuldades para comprar roupas do seu tamanho e que não sejam infantilizadas. Desta forma, as peças são feitas sob medida.

Linha do tempo dos homens mais baixos do mundo desde 2010

  • Abril de 2010: Edward Hernandez foi confirmado pela primeira vez como o menor homem vivo com mobilidade (70,21 cm), após a morte de He Pingping da China (74,6 cm), em março de 2010.
  • Outubro de 2010: Khagendra Thapa Magar (Nepal) confirmado como o menor homem vivo com mobilidade (67,08 cm), ao completar 18 anos. Antes disso, ele era o menor adolescente vivo (masculino).
  • Junho de 2011: Junrey Balawing (Filipinas) confirmado como o menor homem vivo (sem mobilidade) (59,9 cm). Junrey faleceu em 2020; atualmente não há nenhum recordista sem mobilidade.
  • Fevereiro de 2012: Chandra Dangi (Nepal) confirmado como o menor homem vivo (54,6 cm), bem como o menor homem de todos os tempos.
  • Setembro de 2015: Com a morte de Dangi, Magar se tornou novamente o menor homem vivo com mobilidade.

(Com informações do Guiness World Records)

Catherine Moraes

Jornalista por formação e apaixonada pelo poder da escrita. Do tipo que acredita que a informação pode mudar o mundo, pra melhor!
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser