IMC é impreciso para pessoas com nanismo, mas alimentação saudável e esportes podem ser aliados 

Com casos de obesidade muito comuns nas pessoas com nanismo e diante da ausência de literatura sobre o assunto, alimentação e peso são considerados pontos a serem observados por adultos e crianças. De forma inédita, a Universidade Federal Fluminense (UFF), em parceria com o departamento de Nutrição da Universidade Federal do Rio Grande do Norte realizam um estudo sobre o assunto. A coordenadora, Úrsula Viana esteve presente no 4° Encontro Nacional  Somos Todos Gigantes, em Bela Vista de Goiás, para falar sobre o assunto. 

Foto: Michelly Mattos

Úrsula explicou que o apetite e o estômago de adultos com nanismo são similares aos de pessoas que não têm nanismo. Como a perda de calorias ocorre de forma diferenciada, as dicas incluem alimentação equilibrada e prática esportiva. “Nem todo mundo vai fazer crossfit, ou jogar futebol, mas dentro dos próprios limites, praticar exercícios é importante”, completa. 

A nutricionista falou sobre a importância da amamentação para crianças com nanismo e afirmou que isso independe da mãe ter ou não a deficiência. Para a iniciação alimentar, seguem as mesmas regras de alimentação para as demais crianças típicas, recheada de frutas e verduras e, claro, uma priorização pela comida feita em casa. “Adicionar fibras às frutas pode ajudar na saciedade, por exemplo. É preciso manter atividades físicas, monitorar medidas corporais e dietas só devem ser feitas com orientação de nutricionista”. 

Para auxiliar o estudo, clique aqui e acesse o formulário.

Catherine Moraes

Jornalista por formação e apaixonada pelo poder da escrita. Do tipo que acredita que a informação pode mudar o mundo, pra melhor!
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser