Vida do Gigante Davi Jacob

A história deste incrível guerreiro já esteve aqui depois do enorme sucesso que sua trajetória faz pelas redes sociais. Acompanhe a doçura do olhar materno sobre este roteiro de vida

A história deste incrível guerreiro já esteve aqui depois do enorme sucesso que sua trajetória faz pelas redes sociais. Acompanhe a doçura do olhar materno sobre este roteiro de vida

Dia 09 de março de 2014 chegava em nossas vidas um guerreiro: Davi Jacob. Nosso príncipe nasceu com 39 cm e pesando 3,170 kg em um  dia de domingo ensolarado.

 

Foto de Divulgação

Davi

Família toda unida: pai, mãe, Davi e maninho

 

Já sabíamos que ele iria nascer com nanismo, porém não sabíamos de que tipo. Só com o passar do tempo descobrimos o nanismo tanatofórico e acondroplasia pulmonar. Logo ao nascer, assim que deu o seu primeiro fôlego de vida, ele deu uma parada cardíaca. Os pediatras que assistiam o parto começaram a reanima-lo e conseguiram. Logo depois, ele deu outra parada e quando reanimaram ele novamente, ele começou a gemer, como se estivesse com dor, então decidiram entubar ele. Assim começou a nossa lida em uma UTI.

 

Foto de Divulgação

Davi

Mãe e pai com Davi na UTI

 

Davi passou muito tempo lá. Ao todo, ficamos com ele um ano, quatro meses e 20 dias. Eu, mamãe dele, Camilla Ferreira, morei com ele o tempo todo, abri mão de tudo e fiquei ao lado dele. Meu esposo Deyzell Castro, sempre presente. Passamos datas especiais com nosso príncipe, seu primeiro natal, ano novo e seu primeiro aninho de vida lá, muito felizes pelo hospital nos permitir fazer uma festinha para nosso lindo.

 

Foto de Divulgação

Davi

Davi com as técnicas de enfermagem Suely , Zulene , Leonice e Weuma em festinha de 3 anos em casa

 

Nesse período, Davi recebia muitas visitas, mas uma em especial é a da vovó Carmem, minha mãe que ficava nas vezes em que meu corpo precisava descansar. Enfim, tudo que Deus faz tem um propósito. Foram momentos de angústia, tristezas, alegrias também, mas tudo foi vencido no final.

 

Foto de Divulgação

Davi

Davi Jacob com a vovó Carmem, mãe de Camila

 

Hoje, Davi já está com 3 anos e 4 meses e gosto de ressaltar que quando nasceu, os médicos lhe deram 1 por cento de vida. Este mês, completa dois anos em casa. Eu e meu esposo lutamos na justiça e conseguimos um home care totalmente pago pela prefeitura, no qual temos todo os amparos de que Davi precisa.

 

Foto de Divulgação

Davi

Davi Jacob em registro recente, todo produzido de cabelo cortado e roupa elegante!

 

Apesar de ainda estar ligado a um aparelho respiratório, hoje está bem melhor e em processo de desmame. Atualmente já se movimenta bastante, é um menininho muito esperto e feliz mas a sua maior qualidade é a FORÇA. Como nosso príncipe é forte! E sabemos que essa força vem de Deus. Sem Ele não somos nada. Desde o dia em que Davi nasceu nossas vidas mudaram e não só eu mas todos ao nosso redor veem a mão de DEUS na vida dele.

 

Foto de Divulgação

Davi

Davi Jacob com o  maninho Vitor

 

Continuamos lutando para o bem dele e nosso sonho é ver nosso príncipe andando e falando. Eu sei que vamos conseguir porque para Deus nada é impossível. O que dói é somente a espera do tempo de Deus.    

 

Foto de Divulgação

Davi

Davi Jacob com mamãe Camila e papai Deyzell

 

Camila sobreviveu a uma tragédia familiar antes de ter Davi e nem isso diminuiu sua fé ou a fez desistir de enfrentar as provações da vida com dignidade, amor e confiança. Sob a orientação e as asas largas da mãe, Carmem Ferreira, ela aprendeu a encarar as adversidades com disposição, mas é a força do filho que ensina a cada dia que o caminho que vamos trilhar é a gente que desenha e escolhe a direção. Viva com amor, entrega e doação. Ficou difícil? Entregue a outra face e pague para ver! Não se esqueça de compartilhar o ensinamento da família Ferreira com todos ao seu redor. Afinal, não é todos os dias nesta sociedade confusa que nos deparamos com verdadeiros exemplos de fé.

Rafaela Toledo

Comentários

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser