Todos com nanismo usam aparelho?

Nem todos. O importante é acompanhar desde cedo para evitar complicações na fase adulta

Nem todos. O importante é acompanhar desde cedo para evitar complicações na fase adulta

Drª Ivana Teixeira, odontopediatra, recebendo título de cidadã goianiense/ Foto de Arquivo

 

As alterações ósseas comuns em vários tipos de nanismo, principalmente em displasias esqueléticas, como é o caso da Acondroplasia, acarretam recorrentes problemas nos dentes e mordida.

 

Para informar adequadamente sobre o tema, a equipe do SomosTodosGigantes conseguiu uma entrevista com Ivana Teixeira, especialista em Odontopediatria pela Unicamp, em Ortodontia pela Associação Brasileira de Odontologia (ABO), Fellowship Boston University, Fellowship Harvard University, e ainda especialista em mecânicas avançadas Sistemas Ertty.

 

Drª Ivana é membro do primeiro grupo de estudos Sistemas Ertty do Brasil. A mecânica avançada deste método é dominada por um número seleto de pessoas e seu aspecto técnico é o que diferencia o tipo de tratamento realizado com pacientes diagnosticados com nanismo. Segundo a profissional, não se trata de um tipo convencional de ortodontia.

 

A estrutura óssea de quem tem Nanismo alcança maturidade precocemente. É importante acompanhar desde o mais cedo possível conforme explica a ortodontista: “O ideal seria desde o nascimento dos primeiros dentes”, aconselha.

 

Se tratados em fase de pleno crescimento ósseo é mais provável que haja harmonia entre os óssos da face. “O acompanhamento do crescimento da face, nem sempre envolve aparelho. Na maioria das vezes, nossas orientações sobre dieta, mastigação, respiração e sono, podem ajudar a prevenir problemas sérios de crescimento”, alerta Drª Ivana.

 

Aparelho

Quando necessários, aparelhos podem ser usados a partir dos três anos de idade. É muito comum que crianças com nanismo apresentem mordidas cruzadas segundo relata a especialista. “Isso ocorre porque nestes pacientes, a maxila (osso que envolve os dentes superiores), se desenvolve menos que a mandíbula (osso que envolve os dentes inferiores)”, conta.

 

Trata-se de um problema nas proporções dos ossos que pode ser tratado por aparelhos chamados ortopédicos. Estes dispositivos recebem este nome porque são utilizados para ajudar a formar e direcionar o osso.

 

Agravos

Os piores danos são funcionais e estruturais. A longo prazo, pode haver dor de cabeça crônica, dificuldade na mastigação, perda de osso e falta de espaço para dentes permanentes, conforme informa a ortodontista.

 

“Todo problema estrutural, tem como consequência alterações estéticas graves. Quando resolvemos a parte de crescimento ósseo, devolvendo harmonia para o paciente, em consequência atingimos resultados estéticos ideais. No entanto, quando o paciente chega em idade avançada ao consultório, ou seja, após a adolescência, não conseguimos realizar este crescimento ósseo com aparelhos convencionais, sendo necessário realizar um tratamento mais complexo e com intervenção cirúrgica”, explica Drª Ivana.

 

Como Começar

Veja agora quais são as dicas da especialista para as mamães de primeira viagem ou para aquelas que pela primeira vez têm um filho com alterações na mordida. Segundo a odontopediatra, o acompanhamento pode seguir o formato realizado em sua clínica:

 

  • 1º – Exame clínico detalhado e anamnese: o profissional que acompanha o crescimento ósseo do paciente deve conhecer a história de saúde dele.
  • 2º – Realizar um check up digital, com uma câmera que aumenta a imagem dos dentes em 60x seu tamanho: essa avaliação permite a detecção de alterações em fases iniciais.
  • 3º – Se houver necessidade de mais exames, eles são pedidos para clínicas especializadas em radiografias e tomografias: os exames mais caros geralmente são cobertos pelos convênios médicos.

 

“É preciso que atendamos nossos pequenos em uma equipe multidisciplinar, muitas vezes envolvendo ortodontista, odontopediatra, otorrino, alergista, gastro, e fono. Desta forma conseguimos um planejamento ideal e consequentemente alcançamos os resultados desejados”, orienta a especialista.

 

É essencial observar se seu filho está sendo avaliado desde a saúde ao seu desenvolvimento fisiológico. “Prevenir é sempre a melhor opção!! Vamos promover a saúde e trazer sorrisos cada vez mais bonitos para nossos pequenos”, Drª Ivana Teixeira, uma das profissionais mais gabaritadas da capital goianiense.

 

Os dentes são determinantes na harmonia estética do rosto. Dentes desalinhados ou malformados podem causar constrangimento e até trauma. Eles são muito importantes no aspecto físico portanto ter um cuidado especial é preparar também um desenvolvimento psicológico mais saudável para os pequenos, ajudando a superar a limitação do preconceito e do bulling.

 

Para Terminar

A formação dos dentes começa antes mesmo do bebê nascer e sofre influência genética, hormonal. Apesar dos diferentes tipos de más formações possíveis, a ortodontia já é apta a resolver cada um desses problemas com resultados muito naturais.

 

O mais importante é reiteradamente, consultar um especialista o quanto antes, principalmente em diagnósticos de nanismo, qualquer que seja o tipo da condição.

 

 

 

 

Rafaela Toledo

Comentários

2 respostas

  1. Olá,
    Boa tarde!

    Meu filho tem um odontoma no céu da boca que está impedindo o nascimento dos caninos. Como é a cirurgia de retirada? É comum em pessoas com nanismo?

    Obrigada por esse canal para nós ajudar 🙏

    Denize

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

Somos Todos Gigantes marcado na pele 

Pai de criança com síndrome raríssima faz tatuagem em homenagem ao movimento; família é de Feira de Santana, na Bahia, e participou pela primeira vez de encontro em 2023 As bagagens de vida de Maysa, Anderson e Malu são cheias de desafios, lutas, transformações e

Somos Todos Gigantes marcado na pele 

Pai de criança com síndrome raríssima faz tatuagem em homenagem ao movimento; família é de Feira de Santana, na Bahia, e participou pela primeira vez de encontro em 2023 As bagagens de vida de Maysa, Anderson e Malu são cheias de desafios, lutas, transformações e