São Paulo Ganha Associação de Nanismo

Depois de uma longa luta finalmente um grupo de pessoas de São Paulo conseguiu concretizar um sonho antigo da comunidade com Nanismo: abrir a Associação de Nanismo do Estado de São Paulo (Anaesp).

“A finalidade é nos juntar às outras iniciativas como a Anaerj, no Rio de Janeiro que nos incentivou e o Somos Todos Gigantes, que é um exemplo de colaboração para a comunidade”, explica a presidente da associação e mãe do gigante Henrique, Elisangela Paulino Alves Ribeiro.

Havia muitos anos que um grupo de pessoas mais ativas se mobilizava para realizar eventos e aproximar a relação da comunidade com Nanismo do estado de São Paulo. Mas foi em uma reunião com o deputado Campos Machado quando aconteceu o pontapé inicial para a concretização da Associação.

“A partir da parceria com o deputado, fiz o convite a algumas pessoas para serem membros e conseguimos, graças a Deus, abrir. Mas a Anaesp vai ser de todos. É dos pequenos. Estou envolvida porque tenho um filho com nanismo mas a ideia é ficar na plateia para vê-los lutar por direitos e conquistas, novos projetos de lei (…) porque só eles sentem na pele o que passam com o preconceito”, pondera a presidente Elisângela.

Há 3 anos, o deputado Campos Machado têm apoiado o futebol dos pequenos e, segundo a titular, se encantou com a causa. “Ele está nos dando assistência jurídica e contábil”, comenta sobre a parceria.

“Eu falo muito para essa galera jovem que eles vão ter filhos e muitos deles podem ter filhos com Nanismo. Eu bato muito na tecla do quê eles vão deixar para os filhos deles, de legado, de história na comunidade. Eu acho que esse pensamento, essa reflexão surgiu”, afirma Elisângela contando sobre a importância do trabalho de seu vice, Marco Aurélio de Carvalho, o Marquinhos. “Eu acredito nessa juventude”, diz.

Marquinho jamais pensou em estar à frente de uma Associação. “Sempre gostei de fazer eventos relacionados ao povo jovem e em um desses eventos, conheci a Elis que é voltada mais para as mães que têm filhos com Nanismo, como ela mesma. Nos juntamos e começamos a fazer eventos. Ela chamava as mães e eu os jovens. Ela comentou sobre a ideia de abrirmos uma associação para viabilizar melhor a união de nossa comunidade e eu achei uma ótima ideia”, conta o vice sobre seu envolvimento.

Marquinhos explica ainda que antes de conseguir implementar a associação foram à prefeitura sem obter sucesso e começaram a reunir esforços por conta própria nos eventos que faziam. Felizmente, conseguiram concretizar seu sonho e São Paulo agora pode esperar um calendário de eventos intenso porque o intuito é divulgar e ter visibilidade. “Estaremos em parques públicos eventos em parceria com a Secretaria da Deficiência e outras instituições também”, adianta a presidente Elis.

Ela frisa várias vezes durante a entrevista exclusiva para o STG que a associação é um bem comum e que cada uma das pessoas envolvidas, membros e não membros, foram essenciais para que o sonho saísse do plano das ideias e se tornasse real. “Foram dias, noites, trabalhando, festas que fizemos para arrecadar dinheiro. Então os aplausos são para todos”, conclui.

A Anaesp ainda não tem evento de inauguração marcado por causa dos eventos relativos ao universo do Nanismo que se seguem como a Copa América na Argentina, do futebol dos pequenos; marcada para os dias 24 a 28 de outubro; e o 3º Congresso de Nanismo, seguido do 1º Encontro Somos Todos Gigantes, marcados para os dias 09 a 11 de novembro, em Goiânia (GO).

Mas a presidente reitera a importância do apoio de cada um. “A gente quer que a comunidade toda nos procure, queira ser voluntário, queira ajudar nos eventos, dê opiniões, dê sugestões. Para podermos crescer como seres humanos. Toda e qualquer ajuda é bem vinda. Para ser membro da Anaesp, desenvolver trabalhos com a gente, lutar contra o preconceito, fazer novas leis e projetos. Queremos parceiros”, finaliza a presidente que garante presença no Congresso em Goiânia e manifesta vontade de trazer o evento para a capital paulista.

“A gente tem 60% da comunidade com nanismo e muita gente não consegue ir por questões financeiras, ou de trabalho, ou porque têm filhos pequenos. Então temos que dividir mesmo. Um pouquinho em cada estado. O que eu mais gostaria de ver é a união dessa comunidade”, estimula Elis.

Quadro de Membros:

  • Presidente:

Elisangela Paulino Alves Ribeiro

  • Vice Marquinhos:

Marco Aurélio de Carvalho

  • Demais membros efetivos:

Fabiana Rosana da Silva

Miriam de Cassia Sandri

Renata Blanco

Tainah Alves

Paloma Evaristo de Oliveira

Michelle vais Rocha

José Luiz  (Mineiro )

Thais Bezerra

Rafaela Toledo

Comentários

10 respostas

    1. Que lindo, Henrique!!!! Com certeza todos nós temos orgulho da sua linda mamãe Elis e de você, que é inspiração para tudo de maravilhoso que ela realiza! S2

  1. Parabens a todos pelo empenho,
    Tenho filho com nanismo e sei da luta que é perante a sociedade.
    Lutarei pelos direito do meu e sei que agora com anaesp teremos mais apoio
    Conte com a gente

  2. Olá gostaria de ser voluntario em eventos e incentivar a luta pelos direitos desta parcela da população. Como faço para fazer parte deste projeto?

  3. Somos alunos da universidade Uninove e estamos fazendo um seminário sobre nanismo se for possível gostaríamos de fazer uma entrevista com a presidente dos somos todos gigantes em sp

    1. Olá Edson! O Somos Todos Gigantes é um site de notícias e uma causa pelos direitos de quem tem Nanismo e contra o preconceito. Acabamos de realizar o 3º Congresso de Nanismo e posso tentar uma entrevista com nossa idealizadora, Juliana Yamin. Mas a presidente da Associação de São Paulo não é ela. Mas também posso te encaminhar. Caso tenha interesse, nos envie um email para contato@somostodosgigantes.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser