O Natal passou e o que fica?

Chegou o final do ano e o tempo de enfeitar tudo com luzes e cores. Geralmente as cores do Papai Noel. O vermelho ostentado pelo bom velhinho como marca do Natal cobre as cidades e os corações, cheios de movimento e expectativa pelo novo ano que virá. Cumprimos sempre com nossa obrigação social de participar da festa, cuidar dos preparativos e presentear os queridos. Mas será que NÓS estamos presentes?

Será que estamos participando do verdadeiro evento do Natal? Será que estamos presentes no aniversário de Cristo, reafirmando sua aliança com o ser humano? Será que habitamos o humano pelo qual Jesus morreu na cruz? Estamos prontos a dar a outra face, quando agredidos ou desrespeitados, em detrimento do mal?

Dia 25 de dezembro é a data quando comemoramos o nascimento do Filho de Deus, que se fez humano para nos curar dos nossos egoísmos e nos trazer de volta à casa do Pai. É o dia em que deveríamos lembrar do esforço daquela mãe, carregando todas as dores do mundo, sobre um burrinho guiado pelo esposo simples, com sua família de refugiados, pelo deserto escaldante. Criticada, mal falada, apontada na rua por ser julgada impura.

É o dia de nos entendermos tão especiais para Deus, que nos entregou seu precioso filho, para nos salvar das nossas próprias truculências. É dia de perdoar. Perdoar quem não tem razão. Perdoar quem te magoou, às vezes, deliberadamente. Perdoar aquele familiar que deveria ter agido diferente, mas não teve sabedoria e causou em você um mal irreversível.

Será? Existe algum mal irreversível?

No Natal, temos a oportunidade de relembrar e receber novamente todo o amor de Deus, resgatando o maior ensinamento de seu Filho: amar ao próximo como a ti mesmo. Jesus, no simples ato de dar a outra face, de não resistir às agressões, ganhou o carinho de partidários e opositores porque a língua do amor é compreensiva e acessível. Ninguém é imune.

Quando recebemos a raiva de alguém, desrespeito ou falta de compreensão, isso diz mais sobre a pessoa do que sobre a vítima. Quando respondemos a raiva com amor, quebramos a corrente em que o mal ganha força, e estamos reforçando a aliança com Cristo. Não há mal que prevaleça ao amor. Nem nenhuma situação que não pode ser revertida quando nos despimos do egoísmo e olhamos o próximo como parte de nós.

Quando somos vítimas de olhares maldosos, comentários insensatos ou falta de bom senso e respondemos com atenção, informação e respeito, sem nos carregarmos de sentimentos de vingança, estamos quebrando um ciclo de ignorância e inaugurando uma nova etapa.

Dentro do nosso microcosmos, cada vez que conseguimos superar nosso ego, que fica ansioso para responder à altura de qualquer ofensa, e damos mais voz à nossa real essência, criada à imagem e semelhança de Deus, estamos presentes em Cristo. Assim, de grão em grão, conseguimos influenciar o macrocosmos, tecendo nossa própria realidade e interferindo em todas as outras que tocamos.

Conforme o repentista que segue falando suas verdades em Cordel, queremos convidar vocês neste final de ano a lembrar mais de Cristo do que do Papai Noel. Convidamos nossos leitores a não deixar este Natal passar. Que cada um de vocês vivencie uma realidade de presença em Cristo, todo dia.

Vídeo do programa de Fátima Bernardes, transmitido na Rede Globo de Televisão e distribuído em GShow

Façamos um exercício de humanidade: vamos tentar julgar menos tudo aquilo que encontramos de erro no outro na certeza de que cada erro é essencial para a construção do humano melhor. Na mesma medida, vamos nos perdoar pelos nossos próprios erros sem descansar de melhorar a cada dia nossa presença. Em casa, com nossos filhos e familiares, mas principalmente, em nós mesmos.

Estejamos presentes neste grande presente que nos foi dado: a vida. Estejamos presentes em cada pensamento, em cada atitude e palavra. Que nada que saia da nossa boca traia nossa essência e nosso sentimento de amor à vida e aos irmãos, por mais diferentes de nós que eles sejam. Estejamos presentes em cada erro e em cada vez que nos redimirmos deles.

Tenham um final de ano repleto de amor, família reunida, alegria, descanso, festas e tudo o que desejarem. O Somos Todos Gigantes deseja um ano novo cheio de realizações, saúde, amor e muita união para nós na luta incessante pelo bem, em qualquer instância.

Rafaela Toledo

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser