Homenagem a Davi Jacob

Contar a história de Davi é um desafio. Como falar sobre uma vida tão breve que calou tão fundo tantos de nossos medos? Como explicar o que aquele sorriso carregava para os corações daqueles que conheciam suas lutas e vibravam com suas vitórias?

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Com os presentes trazidos pela avó do evento de dia das crianças do STG, ano passado.

Davi era sol nos dias de chuva. Ele nos mostrou o poder da coragem e nos ensinou a cultivar a nossa. Sem julgamentos ou críticas. No silêncio de seu olhar, brilhava uma luz especial que refletia o amor recebido todos os dias. Falar sobre Davi Jacob é inevitavelmente falar sobre família e o poder transformador do amor, da persistência e da fé.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Com a mãe, Camila (à esq.) e o pai, Deyzell (à dir.)

Muitos de nós pode julgar doloroso relembrar este gigante que nos deixou recentemente e tão cedo, com apenas quatro aninhos. Mas somente aqueles que não conhecem a coragem e a resignação da mamãe Camilla Ferreira, do papai Deyzell Castro e, claro, a vovó Maria do Carmo Ferreira da Silva; exemplos irrefutáveis daquele tipo de fé que realiza curas profundas e “move montanhas”.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Rafael, o irmãozinho mais novo, a vovó Carmem e o amor por ela transbordando o olhar de Davi.

Para eles, a missão de Davi ia muito além das próprias vidas e continua. Para eles, contar a história de Davi é multiplicar toda graça recebida quando foram incumbidos de receber esta alma de luz que veio para ensinar tanto para sua família e para todos que o cercavam. Para eles, dividir com o mundo a superação e os ensinamentos da convivência com Davi também é uma missão.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Papai Deyzell, irmão Vitor, mamãe Camila e Davi.

“O apoio das pessoas, nas redes sociais, fortalece a gente. É muito bom saber o quanto Davi foi importante e a missão dele não acabou. De unir a gente em amor, oração, e o time só está crescendo”, comenta a avó, conhecida por nós como Carmem, sobre o número de crianças com o mesmo tipo de condição de Davi no Brasil, o Nanismo Tanatofórico.

Displasia Tanatofórica

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Um dos momentos mais relaxantes: o banho!

Aproximadamente um em cada 40.475 nascidos vivos são acometidos por esta condição condroplásica esquelética na qual a sobrevida após o período neonatal é escassa, conforme pesquisa realizada por Luciana G. Siqueira, Docente de Saúde da Criança da Universidade Federal do Estado do Amazonas e sua equipe.

São raros os casos registrados de crianças tanatofóricas que sobreviveram mais de um ano. Ainda assim o mesmo estudo informa sobre o caso de um menino que chegou aos 17 anos, com suporte ventilatório precoce. Davi superou as expectativas e muitos outros não cabem nas estatísticas. Confira clicando aqui.

Comoção Geral

Foto de Divulgação
Davi demonstrando muita felicidade na companhia dos dois irmãos: Vitor (à esq.), o mais velho e Rafael (à direita), com apenas 3 dias de vida.

No último dia 29 de junho, experimentamos um dos momentos de maior comoção pública desde nosso ingresso como site de notícias sobre Nanismo. Davi esteve estampado em perfis de pessoas envolvidas ou não com a causa da baixa estatura em todo o país, homenageado com as devidas honras. Isso mostrou como sua vida inspirou e continua movendo outras vidas.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Torcedor esteve preparado para o jogo entre Brasil e Costa Rica na Copa de 2018.

Conheça agora nosso anjinho pela perspectivas amorosas de sua mãe Camila quando participou do quadro Vida de Gigante, promovido aqui no Somos Todos Gigantes. Clique aqui para ler.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Davi ainda no hospital, comemorando a alta.

Quem também faz questão de deixar uma homenagem mais do que amorosa é a avó Carmem. Veja o quê ela compartilhou nos grupos de pais e mães de crianças com Nanismo:

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Sorriso que conquistou o Brasil.

“Esse é o  Davi Jacob. Meu presente que veio do céu. Deus o fez assim PEQUENINO com o mais grave dos Nanismos: o Tanatofórico. O homem lhe deu 1% de Vida e Deus transformou esse 1% em 4 anos, 3 meses e 20 dias.

Mesmo respirando por ventilação mecânica, ele foi a essência de nossa casa. Davi nos ensinou amar sem preconceitos, sermos unidos, a orarmos juntos. Nos ensinou que há um Deus que tudo pode e que tem o controle de todas as coisas. O tempo de Davi foi curto porém lindooo. Ele foi muito amado. Até além das fronteiras do nosso Brasil.

Davi conquistou todos com esse sorriso. Sexta passada Deus o recolheu deste mundo.  Ele foi sorrir no céu onde a alegria reina para sempre. Meu pedacinho do céu voltou pra lá. Saudades eternas”.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Davi se alegrando com a família.

Para nós, do STG, e para cada pessoa que teve o privilégio de conviver com amor tão tremendo, a gratidão é eterna também. Vai seguir crescendo exponencialmente em forma de notícia e informação, inspiradas pelo trabalho de Davi Jacob nesta terra e pelo empenho de sua família em tornar sua passagem pela vida tão significativa e transformadora. Davi virou estrela e sua luz continua iluminando dias chuvosos. Basta olhar para cima quando o tempo fechar e escolher a imagem elevada do céu, às pedras pisadas do chão.

Rafaela Toledo

Comentários

7 respostas

  1. Obrigada por contar a história do nosso pequeno grande guerreiro!!! Sou tia do Davi Jacob, tive o privilégio de conviver com ele, de ama-lo….de tê-lo em meus braços, por diversas vezes e de aprender com ele!! Ele sempre estará em nossos corações!!!

  2. Realmente é muito emocionante a história de Davi Jacó,eu tenho um neto que amo muito meu caio Miguel ,ele tem nanismo,e sempre acompanho as postagens de somos todos gigantes,,amo tudo de coração,e tenho certeza que aprendi muito com meu neto.

  3. Um menino cheio de luz!!! Conheci Davi Jacob e sua família através da minha Alice Maria que tem acondroplasia. Pude estar com ele por duas vezes. Momentos rápidos mas que ficaram no coração!!!

  4. Emocionante conhecer a história desta família que recebeu Davi e poder compartilhar este sentimento de amor e acolhimento. A vida de alguém que inspira tanto amor, ainda que curta, só pode ter sido uma bênção.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser