Goleiro do Campinense se ajoelha durante entrevista com repórter que tem nanismo e foto viraliza

Um bocado de empatia e uma foto que viralizou. Na última semana, o goleiro Coradin, do Campinense-PB, se ajoelhou durante uma entrevista com o repórter da Rede Primeiro Mundo Rogério Roque, que tem nanismo, e utiliza muletas para ajudar na locomoção. A cena ocorreu no final da partida entre Botafogo-PB e Campinense, pelo Campeonato Paraibano, e foi fotografada pelo repórter fotográfico Alênio Júnior.

Em entrevista ao Lance, o repórter afirmou que a atitude o surpreendeu pelo fato de facilitar o trabalho. “Até porque ele é um goleiro alto, e ele teve essa gentileza de se ajoelhar para poder facilitar a minha entrevista. Agradeço demais a ele por isso, por facilitar o meu trabalho. Eu enfrento esse problema, por questão do meu biotipo. E agradeço também a Alênio, pelo registro. Tudo começou com essa foto que ele fez”, afirmou ao site esportivo.

Roque disse que não percebeu que Alênio tinha tirado a foto, mas que depois viu a repercussão nas redes sociais. Depois disso, foi procurado por algumas pessoas parabenizando-o pelo trabalho e o goleiro pela empatia. Além disso, os elogios também chegaram ao fotógrafo. No perfil do Instagram, o Campinense parabenizou Coradin pela atitude e Rogério Roque pelo profissionalismo.  

O goleiro afirmou, também em entrevista ao Lance, que se sentiu na obrigação de se abaixar e que foi uma atitude simples, normal mesmo. “A minha família me ensinou, desde pequeno, a ser humilde, a não pisar em ninguém, não criticar ninguém, a não querer ser melhor que ninguém. E isso já vem da minha índole. Foi uma atitude simples minha, normal. Ele veio até mim e, pela sua simplicidade ao querer me entrevistar, acho que era minha obrigação ser humilde o suficiente e me abaixar, me ajoelhar e receber a entrevista dele, afinal, ele estava fazendo o trabalho dele, e muito bem feito” explicou Coradin ao site.

 

Catherine Moraes

Jornalista por formação e apaixonada pelo poder da escrita. Do tipo que acredita que a informação pode mudar o mundo, pra melhor!
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser