Fiocruz lança consulta pública para Política de Acessibilidade e Inclusão

O Comitê Fiocruz pela Acessibilidade e Inclusão das Pessoas com Deficiência lança consulta pública para consolidação da Política de Acessibilidade e Inclusão das Pessoas com Deficiência na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Dessa vez, instituições e cidadãos que atuam pelos direitos das pessoas com deficiência têm a oportunidade de contribuir, apresentando recomendações ao documento em construção, elaborado pelo Comitê a partir de consulta interna a trabalhadores, estudantes e diferentes instâncias da Fiocruz. Este documento apresenta a proposta para uma Política pela Acessibilidade e Inclusão das Pessoas com Deficiência.

A Política tem dois pontos principais: a importância da Fiocruz no cumprimento das leis sobre acessibilidade e inclusão das pessoas com deficiência e o compromisso da instituição em fazer ações em defesa dos direitos humanos.

O trabalho da Fiocruz sobre acessibilidade e inclusão começou em 2016, com a criação de um documento que foi referência para o projeto: Termo de Referência. O Comitê Fiocruz foi criado no mês de maio de 2017. É formado por trabalhadores e trabalhadoras de diferentes profissões que ajudam com seu conhecimento e experiência para que a acessibilidade na instituição seja um direito de todo(a)s.

De 4 em 4 anos a Fundação realiza o Congresso Interno. Neste congresso novas ideias aparecem para melhorar o trabalho de todo mundo. Uma importante foi a Tese 11, preocupada com o enfrentamento de todas formas de discriminação, exclusão e violência.

A proposta dessa Política de Acessibilidade aproveitou as ideias da Tese 11, a presidência aprovou e o Comitê Fiocruz enviou para avaliação dos trabalhadore(a)s. 

Agora é sua vez. Leia o documento. Converse com sua família, professores, amigos e amigas. Anote o que achou e envie para esse endereço: acessibilidade@fiocruz.br

As opiniões vão servir para otimizar o conteúdo.

O maior desafio é mudar a atitude e comportamento das pessoas sobre a importância da acessibilidade. A Fiocruz, com seus 118 anos de atuação, tem essa preocupação e visa ações na gestão, educação e pesquisa, informação e comunicação, trabalho e infraestrutura para se tornar uma instituição de referência na inclusão social nos campos de educação, assistência e trabalho.

Os interessados podem participar da consulta de duas formas: 

1) cadastrando-se no Portal Participa para acessar o conteúdo e registrar suas contribuições, por meio do link http://participa.br/politica-de-acessibilidade-fiocruz/recomendacoes-para-uma-politica-de-acessibilidade-e-inclusao-das-pessoas-com-deficiencia-na-fiocruz; ou 

2) acessando o texto proposto para a Política a partir das opções a seguir e enviando suas contribuições pelo formulário https://is.gd/consultaacessibilidadefiocruz

Texto proposto para Política – versão em pdf

Texto proposto para a Política – versão em Word 

Texto proposto para a Política em linguagem simplificada – versão em pdf

Texto proposto para a Política em linguagem simplificada – versão em Word 

Vídeo em Libras com conteúdo proposto para a Política

O prazo para o envio das contribuições é 31 de agosto de 2019 e o Comitê Fiocruz pela Acessibilidade e Inclusão das Pessoas com Deficiência busca com a consulta pública ampliar o diálogo com a sociedade, reafirmando o posicionamento da instituição pela diversidade e pelo enfrentamento de todas as formas de discriminação, exclusão e violência.  

 Deu sua opinião? Agora compartilha. Quanto mais participação popular, mais fidelidade às necessidades das pessoas com deficiência. Faça sua parte.

Rafaela Toledo

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser