Existe uma Associação Nacional de pessoas com Nanismo?

Existe uma Associação Nacional de pessoas com Nanismo?

Não. Em 1981 houve a mobilização de alguns e a criação do “Gente Pequena do Brasil”, baseada em associações com o mesmo nome no mundo todo, como é o caso da Little People of America dos Estados Unidos.

Após alguns anos com pouca movimentação, a associação foi reativada há cerca de três anos, com o presidente Hélio Pottes a frente de cerca de 500 membros. Entretanto site e blog do grupo estão desatualizados.

O #somostodosgigantes está angariando estrutura e apoio para se tornar uma Organização Não Governamental (Ong) atuante no combate ao preconceito, mas principalmente pela união dos pequenos gigantes em prol de mais acessibilidade, tolerância, inclusão social, respeito e amor. Esperamos contar com o apoio e envolvimento de todos para, em unidade de propósito e de valores, servirmos como elemento de convergência nesse processo.

Atualmente, o ativismo mais atuante no Brasil ocorre pela competente direção de Kênia Rios, na Associação de Nanismo do Estado do Rio de Janeiro (ANAERJ), responsável inclusive pelo primeiro Congresso de Nanismo do Brasil que ocorreu em 2016, nos dias 21, 21 e 23 de outubro, no Rio de Janeiro.

Fontes: Little People of America (LPA), Fudacion Alpe, G1, Dwarf Athetic Association (DAA), Terra, The New York Times, Correio Brasiliense, IG, Jusbrasil, Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), Portal Educação, Portal dos Psicólogos, Drª Jacqueline de Oliveira Fidelis, fonoaudióloga Isabela Roriz, Forbes

Rafaela Toledo

Comentários

19 respostas

    1. Olá José! Fique atento às notícias porque sempre divulgamos os maiores encontros dos gigantes no Brasil. Você também pode assinar nossa newsletter e receber todo o conteúdo exclusivo produzido aqui direto na sua caixa de email. Obrigada!

  1. Olá, bom dia!

    Sou recrutador e possuo oportunidades para pessoa profissionais portadoras de nanismo. Por favor, gostaria de orientações sobre como e onde posso fazer a prospecção da vaga e captações de currículos?

    1. Olá Alan! Passamos suas dúvidas para os gestores do site. Estamos bolando uma forma de colocar empresas e pessoas em contato mas ainda não desenvolvemos nada. Mas sua solicitação já foi repassada para os responsáveis. Grata.

  2. Olá. Tenho meu pequeno Miguel que tem nanismo, ele tem apenas dez meses. Queria saber se no sul Tem essa mesma associação somos todos gigantes? Vejo que tem muito em outros estados, mas no RS ainda não vi. Obrigada

    1. Olá Andressa! O Somos Todos Gigantes não é uma associação. Começou como uma causa e tem vários representantes pelo país porque é uma marca de luta contra o preconceito e pelos direitos das pessoas com Nanismo. Hoje nos tornamos um portal de notícias sobre o assunto. Mas se não existe nenhum representante na sua região, fique à vontade para carregar nossa bandeira. Ela é de todos nós! 😉

  3. Olá, Rafaela. Sou Jornalista e estou elaborando um projeto de Fotografias, que envolve a acessibilidade, a inclusão e o futuro para o manismo. Estou entrando em contato para ter mais fontes,mais opiniões e sugestões sobre o projeto. Aguardando resposta.

    1. Boa tarde, Ary. Pode nos acompanhar também pelo Instagram: @somostodosgigantes. Entraremos em contato por e-mail sobre informações de como ajudar!

  4. Olá faço parte desse grupo e gostaria de ter contato de associações em todo Brasil. Pra toca de informações. Grato pela sua ajuda desde ja agradeço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser