Dia Internacional as Mulheres, com @Look Little

Três perguntas. Uma mulher. Incontáveis lições de vida. Acompanhe o post de hoje em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta quinta, 8. Foi especialmente temperado com as cores e os valores de Rebeca Costa, estrela do perfil Look Little, com quase 55 mil seguidores no Instagram.

Foto: @looklittle
Rebeca Costa, modelo e digital influenciar responsável pelo @LookLittle

Desta vez, a Digital Influencer vai representar o NANISMO brasileiro em uma palestra realizada amanhã, 7, no Teatro Cacilda Becker, no Rio de Janeiro, às 13h30. O evento começa às 9h30 e tem o tema “Identidade”. Serão palestras e conversas entre quatro mulheres referência convidadas pelo Centro de Vida Independente do Rio de Janeiro (CVI Rio), e o público. Se você estiver em solo carioca é impossível perder.

Confira abaixo as outras palestras do dia:

Agora receba um pouco da luz de Rebeca Costa nesta entrevista exclusiva onde ela explica sua participação no evento desta associação de utilidade pública, sem fins lucrativos, que trabalha em prol dos direitos e da qualidade de vida de quem tem alguma deficiência no Rio de Janeiro.

Mas a modelo fala muito além disso. Fala de autoconhecimento, sexualidade, empoderamento e segurança. Ela fala sobre viver bem e escolher os melhores caminhos. E ela sabe do que está falando!

STG – Rebeca, conta melhor como surgiu a oportunidade de representar o Nanismo no evento da CVI Rio, em comemoração ao Dia Internacional das Mulheres?

Foto: @looklittle
Ela arrasa e sabe. Para saber mais é só seguir o @LookLittle no Insta.

Rebeca – Eu recebi o convite através de um contato pelo Instagram. Eles selecionaram pessoas para falar sobre Corpo e Identidade. Vai ser o tema da minha palestra. É fundamental para a própria sociedade entender que a gente pode tudo, que podemos ser quem a gente quiser. Não há nada de diferente. O Nanismo é um detalhe diante de tudo que nós podemos realizar. Daí me chamaram para palestrar e eu vou fazer parte deste quarteto que vai conversar, debater e responder perguntas sobre o assunto.

STG – Quando foi que você teve este insight na vida, de que podemos ser o que escolhermos ser?

Foto: @looklittle
Rebeca Costa brilhando

Rebeca – Minha mãe sempre me criou de maneira igualitária, né?! Porque eu tenho duas irmãs de estatura mediana. Então quando ela descobriu o nanismo, me deu esta frase: O Nanismo é um detalhe. Porque é sim! E ao longo da vida ela sempre me educou normalmente. Ela nunca me limitou à nada. Então eu nunca olhei no espelho com o olhar escamado que a sociedade olha.

Eu sempre me olhei, me vendo mesmo. De verdade. Eu nunca deixei que as vozes dos padrões, as vozes das mídias, da sociedade, da televisão me induzissem a achar que eu sou um erro. Eu sempre me reconheci como Rebeca, uma menina com nanismo, um pouco mais baixa mas sempre fui além dos meus limites, e superei alguns deles. Só sei que eu não consigo quando eu realmente não consigo. Então tudo o que as pessoas falam que eu não consigo, não dou muita bola porque as coisas que eu realmente não consigo, sou eu quem sei.

Não preciso que as pessoas me determinem! Eu sempre fui muito ciente disso. Tenho pais que sempre abordaram este assunto comigo e sempre me olharam de maneira respeitosa, me exaltando. Nunca me olharam com desprezo e tenho certeza de que isso foi fundamental para eu me posicionar.

Essa foi a ideia de fazer o Look Little: ajudar outras mulheres a serem quem quiserem e entender que o padrão foi criado por alguém que errou feio porque as pessoas podem ser quem elas quiserem ser. A mídia não dita conceitos corretos.

STG – E qual a sua dica para quem ainda não entendeu que “Nanismo é apenas um detalhe”? Como ensinar nossas meninas a se apoderar de sua beleza, sexualidade e segurança?

Foto: @looklittle
Foto: @looklittle
Ela tem estilo e simpatia que espalha por onde passa.

Rebeca – A dica para quem ainda não entendeu que nanismo é um detalhe, já que a pessoa não tem este entendimento, a minha maior dica é: tampe seus olhos para aquilo que te diminui e seus ouvidos também! Para o que a mídia dita, para o perfeccionismo, para a perfeição. A tendência de a gente achar que a prioridade do nanismo é muito grande. Tudo que botamos em evidência é algo de muita importância…

A dica maior é colocar em evidência aquilo que nós temos de melhor, sabe?! Propor o nanismo como algo de melhor. As meninas, para se empoderar de beleza, sexualidade e segurança, devem se observar sob o próprio olhar, com autoconhecimento. Ter maturidade suficiente para perceber que elas não podem viver em um corpo que elas rejeitam, que não conhecem.

A moda dita, muitas vezes, o que, para mim, são erros. Nós não somos erros. Cada um de nós tem características de um DNA diferente. Isso é só um detalhe! Não quer dizer que porque temos centímetros a menos, somos diferentes. A sociedade, a moda, a mídia, podem ditar isso. Mas nem tudo que elas falam é correto…

Eu acho que o padrão é uma forma imbecil de ditarmos uma pessoa. Principalmente as meninas, quando a gente quer se empoderar de beleza, tendo algo de diferente, isso só é uma característica a mais. A gente tem que se olhar no espelho, entendendo que é somente mais uma característica.

Ninguém pode entender nossos limites. Não podemos nos sentir inseguros porque alguém interferiu na nossa segurança. Precisamos da certeza de que nossa autossuficiência basta. A gente se olhar no espelho e entender que fomos feitos da maneira certa, na medida correta e não há nada de errado conosco, mas com o olhar humano, é parte fundamental.

Conheço muitas histórias de meninas que já deixaram de vestir algo porque uma opinião disse que estava ruim, que já passaram a se achar imperfeitas porque um ex namorado disse… Então a tendência da sociedade em achar defeitos e colocar isso em evidência, é muito grande. Mas a gente tem grande papel, como qualquer mulher, de determinar e mostrar a verdadeira obra de arte que nós somos. Colocar tudo de bom que a gente tem em evidência. Não esquecer que o nanismo ou qualquer outra deficiência é apenas um detalhe.

A gente não pode se apegar ou desprezar o restante por causa da deficiência. Temos que ditar quem somos de verdade e não como nos padronizam. Não podemos esquecer que cada um tem um DNA próprio, uma essência própria e não apagar isso tentando nos transformar em outra pessoa.

Eu costumo dizer que todos temos sempre algo de bom para deixar na vida das outras pessoas. Então quando me perguntam: como posso ser como você? Eu digo: antes de tudo, você nunca vai ser igual a mim. Você tem algo de melhor, que às vezes, faz até melhor do que eu, então busque em você o que tem de melhor e o que faz de melhor e entregue isso para as pessoas que vai ser um sucesso!

Acreditar em si mesmo é o primeiro passo para se transformar na mulher que você quer. O segundo é tampe os ouvidos e os olhares para o que o resto tem de opinião e acredite que é só uma opinião. O que as pessoas acham, é só achismo. Você sabe o que é melhor para você. Essa é minha opinião!

Quando eu falo que o nanismo é apenas um detalhe, é como quando falamos dos japoneses, com sua etnia… É como o ruivo, tem a sua característica… As sardinhas. A gente não pode colocar o nanismo em evidência e esquecer tudo o que temos de melhor.

As pessoas têm mania disso. De colocar o nanismo em evidência. De esquecer que ela tem um sorriso bonito, que tem um cabelo maravilhoso, um coração gigante!!! Que tem uma ótima sexualidade, sexapeal legal (risos)… é complicado. Porque a sociedade tem a tendência de diminuir aquilo que é diferente. Então a rejeição muitas vezes leva a gente à demência, nos tornando pessoas excluídas por motivos banais e deixando nossa própria essência de lado. Isso não pode ser correto.

Não enxergue com o olhar dos outros. Eles são apenas olhares embaçados que não sabem nada sobre você. São olhares viscerais e preconceituosos… O que isso quer dizer? Que não sabem de nada! É um Pré- Conceito, não é um conceito de verdade… Acredite em você! Vai lá e curta a mulher que há dentro de você porque você pode vencer o mundo mas só se você quiser tampar os ouvidos e os olhos para aquilo que não te acrescenta em nada.

————————————————————————————————————————

Gostou? Nós amamos! Não deixe de compartilhar e acompanhe porque logo, logo tem mais Rebeca e @LookLittle aqui nas telas do STG.

Rafaela Toledo

Comentários

11 respostas

  1. Muito bom ouvir alguém tão bem resolvida com sua vida, e que se torna referência pra outros, tenho um neto co nanismo e temos pensamentos parecidos, ele pode ser o que ele quiser, afinal ele é capaz como qualquer outra pessoa e com certeza ele será um grande homem. Obrigada !

    1. Maravilhosa né, Tânia? Continue acompanhando e, quando quiser, nos conte a história do seu netinho. Com certeza ele é capaz e já é uma gigante por aqui. 😉

    2. Tânia, fico lisonjeada com seu comentário! Grata por tanto carinho! Creio que Deus fará coisas maravilhosas na vida do seu neto e ele ira brilhar muito! <3

      Um beijo!

  2. Nossa que pessoa de LUZ, palavras sabias. Palavras que servem de estimulos a todas nos mulheres.
    Rebeca sou sua fã…por sua garra, forca e originalidade.
    S2

    1. Thank you very much for keeping informed with us. Feel free to use this content as much as any other, with the our credits. You can also sign in for our newsletter and get everything monthly at your email.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

Inscrições para o Bolsa Atleta são prorrogadas para 8 de abril

As inscrições para o programa Bolsa Atleta 2024 que terminariam na próxima segunda (1º de abril), foram prorrogadas para o dia 8 de abril! O programa contempla as categorias de Base, Estudantil, Nacional, Internacional e Olímpica/Paralímpica/Surdolímpica. Os interessados em participar podem se inscrever acessando a

Inscrições para o Bolsa Atleta são prorrogadas para 8 de abril

As inscrições para o programa Bolsa Atleta 2024 que terminariam na próxima segunda (1º de abril), foram prorrogadas para o dia 8 de abril! O programa contempla as categorias de Base, Estudantil, Nacional, Internacional e Olímpica/Paralímpica/Surdolímpica. Os interessados em participar podem se inscrever acessando a