Como lidar com o preconceito?

Como lidar com o preconceito em olhares e palavras que machucam os pequenos gigantes?

Como se ele não existisse. Como se sempre houvesse algo muito mais interessante para se ver logo ali ao lado. Simplesmente porque há! Sempre houve! E sempre haverá. A melhor arma contra a intolerância é a tolerância. Contra a guerra, a paz. Contra a raiva, a mansidão. Contra o ódio, o amor.

Não há força maior que o amor e o #somostodosgigantes pretende mostrar como esta linguagem universal pode combater o descaso social, o desrespeito e a banalização das minorias.

Como disse Gabriel Yamin Nogueira, baixa estatura não incomoda, é o preconceito o que incomoda: comportamento inaceitável em uma sociedade global na qual as diferenças estão sendo aceitas e abraçadas.

Tratamento psicológico para ajudar a família a lidar com o despreparo da sociedade pode ser eficiente, segundo opinião de psicólogos envolvidos pessoalmente com a questão.

Fontes: Little People of America (LPA), Fudacion Alpe, G1, Dwarf Athetic Association (DAA), Terra, The New York Times, Correio Brasiliense, IG, Jusbrasil, Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), Portal Educação, Portal dos Psicólogos, Drª Jacqueline de Oliveira Fidelis, fonoaudióloga Isabela Roriz, Forbes

Rafaela Toledo

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser