Cartilha Escola para Todos: Nanismo

“Sabemos que as crianças são puras e veem o mundo de forma leve e singular. Por isso acreditamos que abordando o assunto do nanismo dessa maneira elas vão compreender e respeitar as diferenças. E mais do que isso. Também vão conseguir passar essas informações para seus familiares e amigos, fazendo com que um número cada vez maior de pessoas saiba o que é nanismo e tornando nossa sociedade mais inclusiva e esclarecida. Queremos mostrar que todo mundo tem direito de viver em uma sociedade que respeita as diferenças, sejam elas quais forem”, diz Vélvit Ferreira Severo, 32, designer gráfica e mãe de Théo Severo Huckembeck, 4, um gigante com Hipoplasia da Cartilagem do Cabelo.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Vélvit é uma das mães que mais trabalha pela inclusão no cenário nacional

Há quase dois anos, ela se juntou à Flávia Berti Hoffmann, mãe do gigante Bernardo, proprietária de uma Editora de livros em Caxias e entusiasta imediata da ideia; e também conseguiu apoio de Kênia Rio, presidente da Associação de Nanismo do Estado do Rio de Janeiro (ANAERJ); Liana Hones, representante do Nanismo em Santa Catarina e do casal Lilian e Vanderlei Link, conterrâneos do Rio Grande do Sul residentes em Pelotas.

A ideia da cartilha surgiu em prol de uma sociedade mais inclusiva. “Com base em experiências de famílias e pessoas com nanismo, resolvemos criar a cartilha. Na fase escolar, a criança passa a se descobrir como ser humano e sua percepção sobre as diferenças começa a aflorar. Por isso, nosso objetivo é ensinar para as elas de forma lúdica e simples o que é o nanismo, para que entendam desde cedo que todos somos diferentes de alguma forma. Para facilitar a compreensão, nossa ideia é contar como é o dia a dia de uma criança com nanismo na escola”, esclarece Vélvit.

Contribuir para que as crianças conheçam o Nanismo de uma forma simples e acessível, dentro de uma linguagem de fácil interpretação para elas é um dos objetivos da cartilha que coincidiu com um dos projetos da nossa plataforma, idealizado para um futuro próximo. Leia mais sobre esta feliz coincidência que ganhou palco e simpatia no 2º Congresso de Nanismo no Rio de Janeiro.

Após o empenho de toda a equipe, a expectativa é de que o material impresso esteja disponível até outubro deste ano, o mês do Nanismo, segundo conquista recente dos gigantes que atualmente celebram sua data no dia 25 de outubro, simultaneamente à outros 28 países.

“Estamos na fase de ilustração. Nessa etapa estamos em busca apoio para conseguirmos finalizar”, atualiza a idealizadora do projeto, explicando que ainda falta patrocínio para a tiragem necessária da primeira distribuição.

Apesar de ainda no forno, a ideia da cartilha já tem se espalhado pelo Brasil e os trabalhos em torno da abordagem do nanismo nas escolas já começaram de diversas maneiras e em várias regiões do país.

Juliana Yamin, criadora da campanha #STG, tem projetado um kit multimídia que em breve estará disponível para download aqui no site, com enfoque na apresentação do Nanismo nas escolas, em uma linguagem comum para os pequenos. Liana Hones tirou as dúvidas de várias crianças sobre nanismo no primeiro dia da novela O Outro Lado do Paraíso, com a participação da atriz Juliana Caldas, diretamente nas telas da rede Globo. Kênia Rio disponibilizou por meio de suas próprias redes sociais, uma carta de apresentação da criança com nanismo e suas reais peculiaridades dentro do sistema de ensino.

As iniciativas são várias mas o objetivo é o mesmo: espalhar conhecimento, acabar com o preconceito e a discriminação e, com isso, tornar a vida melhor para todos partindo do respeito às diferenças.

Vélvit também conta sua experiência iniciando o trabalho na escola do filho: “No início deste ano, fui convidada pela escola do Théo para falar um pouco sobre minha experiência e passar mais informações aos pais, pois muitos ainda têm curiosidade ou não sabem passar informações para as crianças que também têm. Foi muito gratificante poder falar com os pais e tirar dúvidas, esclarecer mais sobre o assunto, desmistificar esse tema. Então pensando que muitas famílias também poderiam iniciar essa ação em suas cidades disponibilizei a apresentação da palestra na escola”.

Foto de Divulgação
Foto de Divultgação
Vélvit palestrando sobre Nanismo.

Leia sua apresentação ao final desta matéria, se inspire e inicie as conversas sobre nanismo nas escolas de sua região. Quando agimos juntos, com amor no coração e fé na intenção, #somosTODOSgigantes.

De acordo com a designer, o plano é aprovar uma Lei Nacional de Inclusão da Cartilha nas Escolas, assim o custo da tiragem seria subsidiado pelo governo. “Sabemos que é um processo demorado mas que futuramente vai trazer um grande retorno no sentido de multiplicar informação e conscientização. Assim podemos mudar a maneira das pessoas enxergarem o mundo. Com mais respeito”, incentiva Vélvit.

Foto de Divulgação
Foto de Divulgação
Com o Senador Paulo Paim, pleitando a aprovação do Projeto de Lei que institua a cartilha como obrigatória nas escolas.

Enquanto o projeto de lei ainda está distante, o grupo busca apoio de empresas, pais e todos que tiverem interesse em contribuir com esse lindo projeto que é de todos. É muito importante concretizar esta iniciativa que vai ajudar de forma incalculável as família e as crianças que precisam lidar com a falta de informação de escolas e alunos. Quem puder ajudar, pode enviar depósito direto para a conta da ANAERJ no Bradesco, Agência 3176, Conta 445533-9.

Tudo que é novo traz curiosidade. Quando as pessoas passam a conhecer o nanismo, a discriminação diminui, a empatia aumenta… Com certeza a informação e o amor podem mudar a maneira das pessoas verem o mundo, repensar seus conceitos. Podemos mudar o mundo se plantarmos a semente do amor, do respeito ao próximo independente de suas diferenças. A mudança começa em cada um de nós”, finaliza uma das idealizadoras da cartilha que vai ampliar o alcance e a linguagem de nossa mensagem.

Foto de Divulgação
Passeio ciclístico dos gigantes em 2015.

Sua participação é mais importante do que nunca. Cada um pode participar como puder. Seja doando subsídio para a primeira tiragem da Cartilha Escola para Todos: Nanismo, seja começando a trabalhar o assunto nas escolas de sua região, seja compartilhando para aqueles que puderem se unir à este ciclo de integração, informação, educação e inclusão. Faça como puder. Apenas não deixe de fazer a sua parte. Todos nós somos indispensáveis na construção do mundo onde queremos viver.

Enquanto a cartilha não fica pronta, baixe o PDF com a apresentação usada por Vélvit para apresentar o Nanismo na escola de seu filho:

[button title=”Palestra Nanismo nas Escolas” link=”https://somostodosgigantes.com.br/wp-content/uploads/2018/04/palestra-Nanismo-para-escolas.pptx” target=”_blank” align=”” icon=”” icon_position=”” color=”” font_color=”” size=”2″ full_width=”” class=”” download=”” rel=”” onclick=””]

Rafaela Toledo

Comentários

3 respostas

  1. Nós integrantes do BRASA – Seleção Brasileira de Futebol de Anões parabenizamos Vélvit Severo pela iniciativa de criação dessa linda obra de inclusão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser