Biomob reúne setores para debater acessibilidade

O V Fórum Brasileiro Biomob de Acessibilização vai acontecer no próximo dia 23, quarta-feira, das 14 às 18h, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. Para participar basta se inscrever, basta acessar www.bit.ly/acessibilizacao_2305. Os inscritos são convidados a doar lacres de latinhas para a campanha Toma lá Dá Cá, que doa cadeiras de rodas, sondas, bengalas e ajuda quem precisa.

Toda a sociedade civil está convidada a participar do debate após a última regulamentação da Lei Brasileira de Inclusão (LBI), realizada no último dia 01 de março, quando os artigos 45 e 46, referentes ao turismo e à mobilidade urbana, respectivamente, foram alterados.

Quatorze anos após a consolidação da LBI, estabelecimentos turísticos e transporte público ainda estão se adequando aos parâmetros necessários para a acessibilidade oferecer condições inclusivas de convivência.

“Na verdade, a última alteração na lei de inclusão aponta algumas outras questões que apertam uma lei que existe desde 2004. Por exemplo, todo hotel construído depois de 2004 tem 24h para sua adequação e todo hotel anterior à 2004, tem mais quatro anos para a adequação. O que, na verdade, é um grande equívoco porque há 14 anos surgiu a lei e ainda prorrogam esta história”, avalia Valmir de Souza, 51, Fisiologista pós graduado em Esporte Adaptado, criador e sócio diretor da Biomob Soluções Inovadoras para Acessibilidade, responsável pelo Fórum.

Foto: Divulgação
Valmir é um dos grandes representantes na luta pela acessibilidade no Brasil.

Algumas regras são essenciais para que empresários e poder público concretizem os parâmetros de regularidade conforme explica Valmir. “Por exemplo: 10% dos quarto devem ter acessibilidade. No contexto geral. Por exemplo, olho mágico em duas alturas para as pessoas que têm nanismo e cadeirantes, banheiro adaptado com regulagem de altura, vaso sanitário adaptado”, explica.

Os temas debatidos vão englobam as questões relativas ao público com Nanismo, em ambos os temas pautados para o encontro. “Inclusive, a Kênia (Rio, da ANAERJ) será uma das debatentes do último bloco para falar sobre quais são soluções de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida ela viu pelo mundo. O que ela viu quando viajou, o que já ouviu falar e o que leu, assim podemos adotar as mesmas práticas aqui no Brasil”, adianta Valmir.

De acordo com o empresário, o que o aplicativo Biomob pretende com este evento é uma articulação entre a sociedade civil, iniciativa privada e poder público. “A iniciativa privada provavelmente vai subsidiar estas iniciativas que serão apontadas pela sociedade civil. São as pessoas que vão dizer o que querem e precisam de forma mais efetiva e o poder público estará lá para se responsabilizar pela concretização das propostas. Nosso debate é sempre com este objetivo. A gente sempre procura trazer soluções”.

O aplicativo Biomob foi criado para viabilizar o tráfego de pessoas com limitação de mobilidade. Foi construído para ser incrementado pelos próprios usuários, assim como o Waze (app de GPS) ou o próprio Google Maps, sujeito à inserções de quem estiver logado em alguma conta da empresa. Saiba mais sobre este app muito prático que depende de cada um de nós para funcionar cada dia de forma mais abrangente e eficaz clicando aqui.

Confira agora a programação completa do evento e não deixe de participar. Cidadania não consiste apenas em direitos. Como cidadãos, construtores de nossa sociedade, somos também responsáveis pelo lugar onde moramos e pelas pessoas que convivem conosco nestes ambientes. Assuma seus deveres de cidadão e se responsabilize por um Brasil mais acessível e justo.

V FÓRUM DE ACESSIBILIZAÇÃO BIOMOB
Data: 23/05/2018
Local: Museu do Amanhã
Horário: das 14h às 18h
ABERTURA:
– 14h00 – Coral dos Anjos, de Petrópolis (20 min)

– 14h20 – Apresentação Oficial do Fórum

– 15h00 – Lançamento da Campanha Biomob Brasil Acessível e entrega do selo Biomob de Acessibilidade ao Museu do Amanhã – Rosane Santos – Presidente do Instituto Nissan

– 15h20 – Lançamento da Campanha Toma Lá Dá Cá e entrega do certificado de Embaixador da Diversidade e Inclusão para: Clodoaldo Silva (Campeão Paralímpico), Geraldo Nogueira (Subsecretário da SMPD/RJ), Marcelo da Silveira (Vereador de Petrópolis/RJ), Maria da Conceição Aguiar Santos (FADA – Araxá/MG), Gislene Cardoso (Vereadora de Pindamonhangaba), Flávio Rossini (Subsecretário dos Direitos Humanos de Mesquita/RJ) e Wade Pedroso (Vereador de Aparecida do Norte/SP)

– 15h40 – LBI – Lei Brasileira de Inclusão – Caio Sousa (OAB)

– 16h00 – Ponte Área da Inclusão – Debate entre os secretários
Geraldo Nogueira Marinalva Cruz e Flávio Rossini – tema: o que as prefeituras têm realizado para a mobilidade e para o turismo acessível em suas cidades.

– 16h30 – Demo Day de aplicativos (Biomob, NaviGat e Kit Livre Experience)

– 17h00 – Bate-papo com o campeão Clodoaldo Silva

– 17h30 – Rodada temática sobre acessibilidade e inclusão no mundo: Luis Claudio Freitas (OAB), Kenia Rio (ANAERJ) e Clodoaldo Silva

Rafaela Toledo

Comentários

2 respostas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser