A partir de quando colocar aparelho dentário no acondroplásico?

Sobre a arcada dos acondroplásicos

Segundo ortodontistas, o paciente com nanismo tende a apresentar dentes apinhados, mordida cruzada, má oclusão de classe III, prognatismo mandibular, perfil côncavo, macroglossia e outras complicações. A terapia ortodôntica é essencial e quanto mais cedo iniciar, melhor o resultado final.

A Associação Americana de Ortodontia recomenda que toda criança faça avaliação ortodôntica a partir dos sete anos. Alguns tratamentos podem começar até antes, mas isso depende de cada caso. Com cinco ou seis anos já é possível utilizar aparelhos dentários para incentivar o crescimento correto dos ossos. Inclusive, esses primeiros aparelhos nem são considerados ortodônticos mas ortopédicos.

Antes disso, não é recomendado porque as crianças são muito inquietas para usar o fio dental com o cuidado e atenção demandados pelos aparelhos dentários. Além de otimizar a mordida, a correção dos dentes melhora o convívio social dos pequenos, interferindo positivamente em sua autoimagem.

Fontes: Little People of America (LPA), Fudacion Alpe, G1, Dwarf Athetic Association (DAA), Terra, The New York Times, Correio Brasiliense, IG, Jusbrasil, Sociedade de Pediatria do Estado do Rio de Janeiro (Soperj), Portal Educação, Portal dos Psicólogos, Drª Jacqueline de Oliveira Fidelis, fonoaudióloga Isabela Roriz, Forbes

Rafaela Toledo

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser