Pequeno gigante encara Iron Man

A modalidade esportiva é um tipo de triathlon de longas distâncias conhecida por exigir o máximo dos atletas envolvidos

A modalidade esportiva é um tipo de triathlon de longas distâncias conhecida por exigir o máximo dos atletas envolvidos

Foto: John Young correndo na maratona de Maryland/ Fonte: Blog do próprio atleta

 

John Young é canadense, professor de matemática e tem nanismo. Aos 40 anos começou a se dedicar aos esportes para perder peso. Com o tempo foi se apaixonando pelo estilo de vida fitness e começou a participar de várias corridas e maratonas, incluindo a famosa Maratona de Boston.

 

Fonte: Blog do próprio atleta

Superação

Foto: John Young no Iron Man

 

Hoje Young coleciona mais de 30 medalhas. É o primeiro atleta com sua condição a completar uma prova de triathlon, mérito alcançado neste outubro de 2016 na cidade de Cambridge, estado de Maryland nos Estados Unidos.

 

Para imaginar o esforço realizado por John ao completar o Iron Man é só pensar no desafio de fazer o dobro dos demais atletas, de estatura média. Isso mesmo! Porque ele precisou de 2 a 2,5 passadas a mais para percorrer o percurso da prova em tempo hábil. Lembrando que este tipo de corrida é mais de resistência do que de velocidade.

 

Numericamente podemos concluir que enquanto os outros atletas somaram uma média de 33.000 passadas, John ostentou 66.000 a 82.500 passadas, alcançando uma marca inédita e enchendo a comunidade mundial de pequenos de orgulho. São aproximadamente 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42,195 km de corrida. Maratona para poucos!

 

Fonte: Blog do próprio atleta

John

Foto: John Young com a família comemorando sua história de superação

 

Preparo

Em 2016, o atleta não teve nenhuma contusão nos treinos, fato crucial na preparação bem sucedida para esse evento. O Iron Man é uma prova radical que exige anos de preparação, acompanhamento médico atento e saúde física impecável.

 

São vários fatores interferindo no resultado final e a superação deste pequeno só mostra que os limites só existem na mente das pessoas. Com boa vontade, esforço, dedicação e fé cada um pode ser o que quiser e alcançar o que almejar. Muitos concorrentes relatam que o bom humor e perseverança de Young são impressionantes, inspirando todos eles a serem sempre melhores.

 

Além do duplo esforço físico, John usa uma bicicleta de criança, equipamento não apropriado para a etapa de ciclismo onde quase 100% dos competidores usam bikes leves, com quadros de carbono.

 

Fonte: Blog do próprio atleta

John

Foto: Etapa de Ciclismo, Iron Man

 

Atualmente, ele busca apoio para conseguir o equipamento correto, adaptado para seu tamanho e construído com materiais mais leves. O objetivo é sempre melhorar e conseguir resultados cada dia mais satisfatórios nas competições. O exemplo de John mostra também que nunca é tarde para começar.

 

Compartilhando

John Young tem um blog onde publica sobre suas práticas esportivas. Sobre esse triathlon de Maryland, escreveu detalhadamente a respeito das emoções vividas em toda a viagem de Boston, cidade onde mora, até o local da prova.

 

Vale a pena ler toda a história para perceber cada obstáculo no desafio de completar essa prova. O pequeno gigante canadense se tornou um símbolo de superação não só para as quem tem baixa estatura, mas para todo tipo de atleta amador que quer se tornar profissional e sente medo de não conseguir.

 

Compartilhe esta história de superação que pode ajudar tanta gente a enxergar além do que acredita ser sua limitação! Não se esqueça de visitar nossas páginas nas redes sociais. É a participação de cada leitor que torna o #somostodosgigantes uma força tão relevante na conquista de uma realidade mais justa.

 

 

Com informações de:

http://www.mundotri.com.br/2015/07/john-young-visa-ser-o-primeiro-atleta-com-nanismo-a-completar-um-ironman/

http://bethehammerjy.blogspot.com.br/ –  Blog do próprio John

http://edition.cnn.com/2016/11/18/health/ironman-maryland-fit-nation/index.html?sr=fbCNN111916ironman-maryland-fit-nation0131PMVODtopVideo&linkId=31336581

 

Rafaela Toledo

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser

A conexão de mãe que abraçou centenas de outras mães

Neste Dia das Mães, contamos histórias de mulheres que são fio condutor na luta por proteção e direitos dos filhos com nanismo “Não consigo me imaginar não sendo mãe. A gente se doa, se dedica pra vê-los se tornando homens maravilhosos”: Francielle Ferreira Ribeiro “Ser