Instituto Nacional de Nanismo realizou maior encontro da história no país

Depois de dois anos de pandemia e encontros on-line ou com limitação de participantes, o Instituto Nacional de Nanismo (INN) reuniu mais de 300 pessoas de todo o país transformando o encontro de 2022 no maior já realizado no país com foco nas pessoas com nanismo. Neste ano, o evento ocorreu pela primeira vez fora de Goiás, no Beto Carrero World, em Penha (SC). E a partir de agora vai ganhar o país com o objetivo de permitir que mais famílias e adultos com nanismo consigam participar. Para 2023, o destino já foi escolhido: Maceió (AL).

Há um ano, o movimento Nanismo Brasil, que nasceu em São Paulo (SP) com o objetivo de reunir e auxiliar adultos com nanismo, se uniu à plataforma do INN. Desta vez, além de diversas crianças com nanismo e suas famílias, o evento reuniu uma quantidade ainda maior de adultos com nanismo. Mais força, mais potência, e uma troca imensa de experiências e projetos junto com o movimento Somos Todos Gigantes.

Presidente do INN, Juliana Yamin afirma que hoje ainda não há, inclusive, levantamento de quantas pessoas vivem com nanismo no Brasil e onde estão essas pessoas. “A gente sabe que as pessoas que estão em considerações mais vulneráveis têm muita dificuldade de acessar seus direitos. São tantos desafios que mal sabemos por onde começar. Essas pessoas são invisíveis, principalmente para políticas públicas. O instituto veio para completar o que fizemos por sete anos como movimento Somos Todos Gigantes. Estamos realizando um sonho de ir para outros locais do país e possibilitar acolhimento de famílias de todo o Brasil. Queremos dar a oportunidade para essas pessoas de nos conhecerem como família.”

Pelas ruas do parque, adultos e crianças paravam Gabriel Yamin, líder do Somos Todos Gigantes, para pedir um abraço, tirar uma foto, conversar. O menino, que foi a primeira criança com nanismo a efetivamente ganhar as redes sociais, hoje inspira tantas famílias e se tornou um jovem respeitado e querido. “É o maior encontro que já fizemos até hoje, muito por conta da fusão com o Nanismo Brasil que abriu novos horizontes e ampliou nossa atuação”. Ele explica que a ideia agora é levar encontros para outros estados e possibilitar que mais pessoas participem desses momentos especiais e transformadores na vida das famílias e dos adultos com nanismo.

“Eu nunca imaginei, quando começamos o Somos Todos Gigantes, que eu ia me tornar inspiração para outras pessoas que não fossem meus pais ou amigos que já me conheciam desde sempre. Mas, com vídeos na internet, consegui alcançar famílias até de fora do Brasil que hoje me veem como referência. Ainda é difícil entender e a ficha não cai, mas é muito bom e gratificante. Principalmente as crianças que muitas vezes chegam tímidas e outras vezes me abraçando”, completa Biel.

“Antes da fusão, a gente lutava muito por união e por conscientização para que todos tivessem voz. A partir da fusão, com as crianças e com as famílias, entendemos que tínhamos uma potência. Não é só sobre altura, é sobre pertencimento, vivência, sentimentos e emoções. Estar junto é entender que não caminhamos só. Juntos somos muito mais fortes e trabalhando dentro de casa para depois ir para fora, nossa voz vai ecoar e atingir milhares. Inclusão é potência e a qualidade de estarmos juntos pela mesma causa, pelo mesmo objetivo, propósito, em amor, faz com que a gente conquiste e alcance nossos sonhos”, acrescenta Fernando Vigui, líder do Nanismo Brasil. 

Catherine Moraes

Jornalista por formação e apaixonada pelo poder da escrita. Do tipo que acredita que a informação pode mudar o mundo, pra melhor!
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Mais

Natação e nanismo: quais os benefícios e pontos de atenção?

Prática do esporte sem acompanhamento pode provocar lesões, mas quando monitorada revela ser uma ferramenta potente na transformação da qualidade de vida das pessoas com a deficiência O sinal sonoro liberta para um mergulho profundo. “Na água eu dou tudo de mim, coloco na minha

Garoto com nanismo é campeão em jogos escolares

“Eu nunca tinha sido campeão e fiz gol até na final”, celebra Bernardo de 10 anos que descobriu mais uma paixão Um olhar técnico e humano plantou mais uma semente no futuro de uma criança e permitiu a união de um time que levou pra

Natação e nanismo: quais os benefícios e pontos de atenção?

Prática do esporte sem acompanhamento pode provocar lesões, mas quando monitorada revela ser uma ferramenta potente na transformação da qualidade de vida das pessoas com a deficiência O sinal sonoro liberta para um mergulho profundo. “Na água eu dou tudo de mim, coloco na minha

Garoto com nanismo é campeão em jogos escolares

“Eu nunca tinha sido campeão e fiz gol até na final”, celebra Bernardo de 10 anos que descobriu mais uma paixão Um olhar técnico e humano plantou mais uma semente no futuro de uma criança e permitiu a união de um time que levou pra